SECRETÁRIO DE REGULAÇÃO DO MEC, DANILO DUPAS É O NOVO PRESIDENTE DO INEP
O ministro da Educação, Milton Ribeiro, anunciou que o secretário de Regulação e Supervisão da Educação Superior, Danilo Dupas, será o novo presidente do Inep (Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira), responsável pelo Enem (Exame Nacional do Ensino Médio). Ele vai substituir Alexandre Lopes, exonerado hoje do cargo. "Danilo é um profissional técnico, mestre em Administração, que atua no setor educacional há 20 anos. Como Secretário da Seres, realizou um brilhante trabalho em apenas 6 meses, reconhecido e elogiado tanto pelo setor público como pelo privado", escreveu Ribeiro em uma rede social.
MEC RECUA E SUSPENDE OFÍCIO QUE BARRAVA ATOS "POLÍTICO-PARTIDÁRIOS" EM UNIVERSIDADES
Após forte repercussão negativa, o MEC (Ministério da Educação) recuou sobre um ofício que orientava universidades federais a "prevenir e punir" atos políticos nas instituições. Em novo documento, que chegou na noite desta quinta-feira (4) aos reitores e foi obtido pela reportagem, o MEC argumenta que não havia no ofício original "quaisquer intenção de coibir a liberdade de manifestação e de expressão" nas instituições federais de ensino superior.
MINISTRO DA EDUCAÇÃO DIZ QUE PEDIU PRIORIDADE NA VACINAÇÃO DE PROFESSORES: 'EU CREIO QUE PARA ABRIL'
O ministro da Educação, Milton Ribeiro, disse nesta terça-feira (16) que pediu ao ainda ministro da Saúde, Eduardo Pazuello, prioridade na vacinação de professores contra a Covid-19. De acordo com Ribeiro, o objetivo é acelerar a retomada das aulas presenciais. "Eu vim aqui pedir para que eles analisem a possibilidade de vacinar todos os professores para que a gente possa retomar a questão das aulas presenciais. Esse foi o nosso objetivo. A resposta é que está sendo analisado, o mais cedo possível, e que isso vai entrar na escala, eu creio, que para abril, antes de maio, isso vai ser possível", afirmou Ribeiro. Embora o governo do presidente Jair Bolsonaro (sem partido) não venha conseguido acelerar o plano de vacinação contra o coronavírus, com atrasos na compra de vacinas e brigas políticas sobre a eficacácia dos imunizantes, o ministro da Educação disse que "queria dar essa oportunidade para os professores". "Nós estamos aí todo mundo, naturalmente, precisa da vacina e eu queria dar essa oportunidade para os professores. Mas nós temos em torno de 2 milhões e meio a três milhões de professores que poderiam ser alvo dessa vacinação", completou. O Brasil tem entre 2,5 milhões e 3 milhões de profissionais que poderiam ser alvo da estratégia de vacinação. A possibilidade de antecipar a vacinação de professores também tem sido pleiteada por associações que reúnem prefeitos. Em fevereiro, Pazuello chegou a dizer em reunião com gestores municipais que tentaria antecipar a vacinação de professores para março. A data, porém, não foi confirmada.